Dona Neyde I Brasil
Dona Neyde

Batemos à porta do número treze e quem abre? A avó mais querida de Diamantina. Dá-nos a chave do anexo da casa mais bonita da praça e a confiança de lhe batermos à porta sempre que quiséssemos. E quisemos, muito. A avó da Fernanda foi a nossa anfitriã da cidade da Chica da Silva, apresentou-nos à família e aos amigos, fez-nos o pequeno almoço, deixou-nos lavar a roupa e ainda nos levou a jantar ao lugar mais “gracinha” de Diamantina. Vamos ter muitas saudades suas Dona Neyde.